Formato de Post

A motivação para acordar

5 Comentários

Acordar todos os dias às 7, fazer uma torrada e um café preto enquanto leio as notícias do dia, depois passar uma hora na academia enquanto adiciono um filtro de felicidade ao meu dia, ah endorfinas. Às 9:30 chego no trabalho e aproveito a próxima hora para limpar minha caixa de entrada e encarar o resto do dia de reuniões.

Uma pena que tal cenário só existe na minha cabeça e está longe de ser real.

A minha verdadeira manhã começa às 07:30, quando tomo uma pílula com 450mg de cafeína, o equivalente a 5 expressos, só assim para conseguir sair da cama uma hora depois, o que nunca acontece porque durmo mais uma hora.

Alguns dias são nublados, outros ensolarados, assim como nem todo dia se pode estar ganhando, também nem todo dia é fracasso.

Acordar cedo exige mais que disciplina, uma despertador escandaloso e um bom café. Precisa vontade de viver, de resolver os problemas que te aguardam na caixa de entrada e porque não, um travesseiro bom.

Mas onde acha motivação? Compra pela internet? Parcela?

Motivação vem de dentro, não dá pra colocar expectativa em qualquer coisa fora. É uma explosão de sentimentos que culmina em um grito de “Bora, agora é a hora”.

É fácil culpar o trânsito, a chuva, o chefe, o ketchup que acabou no restaurante, o mundo. Mas o que são essas pequenas coisas se colocadas na perspectiva de uma vida inteira? Ou até mesmo de um mês? Você lembra quando foi a última vez que ficou chateado com a chuva? Ou a última fila de banco que arruinou seu dia?

Mas mesmo sabendo disso tudo na teoria, a prática é outra coisa. Voltam os pensamentos de fracasso e de que as coisas não poderiam dar certo, na hora de acordar aquele poço de sono não acaba e quando você menos percebe, já está atrasado para seu próximo compromisso.

Se Junte à Conversa

  1. Verdade, a gente se importa com coisas tão pequenas, mas não lembro de uma fila de banco que tenha arruinado meu dia… E também concordo que na teoria faz todo sentido, mas na hora a gente nem pensa, só sente e sente demais.. Deveria ter um site que vendesse não apenas motivação, mas também tranquilidade

    Resposta

  2. É impressionante. Passei vários anos pensando se realmente era a bipolaridade ou se estava me “escondendo” atrás da doença. Mas vendo sua fala…as mesmas dificuldades, as mesmas perguntas, “estratégias”, vontades….
    Obrigada por compartilhar e me fazer perceber que não é tudo culpa minha.

    Resposta

  3. Tive milhões de oportunidades na vida perdias por causa desses (muitos) dias difíceis de acordar e outras tantos em que fiquei apático olhando para a parede. Culpa, culpa, culpa… Até hoje me pergunto se dou bipolar ou apenas mais um vagabundo que foge de compromissos pra ficar na moleza… Hoje estou olhando para um artigo a ser terminado, emails a serem respondidos e nada… Espero dormir e que amanhã seja melhor. Em tempo, odeio ser bipolar, apenas isso, odeio.
    Como explicar que você não é um vagabundo, ou alguém sem ambição? Claro que como todo bipolar tenho momentos bem produtivos, mas na verdade, depois que acertei(?) a medicação e fiquei livre da depressão maior e das crises de ansiedade, perdi também os momentos de muita energia, o interesse pela vida, aquela vontade de realizar as coisas… Perguntei ao meu médico se esse era o preço a pagar para poder estabilizar a doença, ele respondeu que talvez sim.
    Vale a pena?

    Resposta

  4. Pingback: Como manter a saúde mental em época de eleições - Confissões de um Bipolar

Deixe uma resposta